Anuário Manual da Piscina - 2011

Entrevista dada à reporter Vanessa Sarzedas, para a Revista Manual da Piscina - Anuário 2011, da Editora Casa Dois, sobre acessibilidade em piscinas.

Idosos e portadores de necessidades especiais podem relaxar e se exercitar em piscinas, basta observar alguns detalhes na construção.

Inúmeras atividades podem ser realizadas em piscinas acessíveis, como natação, hidroginástica e shiatsu. Antes disso, é necessário que a área de lazer seja construída de acordo com a norma 9050/04 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e a lei número 10.098, regulamentada pelo drecreto 5.296/2004.

A legislação indica que os projetos devem apresentar itens que vão garantir a segurança para portadores de necessidades especiais e idosos, como rampas e escadas de acessibilidade, pisos com coeficiente de atrito específico, bordas arredondadas, corrimão perimetral de apoio, escadas de acesso, condicionamento antialérgico e aquecimento.

Para a Arquiteta Karla Cunha, do escritório Item 6 Arquitetura e Sustentabilidade, da capital paulista, o antiderrapante é indicado tanto no interior quanto ao redor da piscina.
"A  inclinação das rampas deve obedecer às mesmas regras das rampas acessíveis fora de piscinas, assim como a largura livre recomendável, que deve ser de 1,50 m, sendo o minimo admissível de 1,20 m", declara Karla.